terça-feira, 3 de janeiro de 2012

"OURO E AMOR"‏



"Há expressivos depósitos de ouro nas organizações bancárias de todos os povos; e as
nações continuam gemendo sob o guante da guerra.
Há toneladas de ouro no corpo ciclópico da Terra; e, na crosta planetária, há quem chore
nos braços constringentes da enfermidade e da fome.
Há imensa quantidade de ouro no seio do oceano; e a dor abarca todos os continentes.
Há ouro nas casas nobres; e os pequenos castelos, da ilusória felicidade humana, padecem
o assalto de extremas desilusões.
Há ouro nos templos de pedra; e os crentes da fé religiosa permanecem famintos de paz
e consolação.
Há ouro na indumentária de sacerdotes e magistrados, de homens poderosos e de mulheres
felizes, entretanto, os museus gelados aguardam essas peças preciosas que se movimentam
no rumo do silêncio e da morte.
Acima do ouro, porém, reina o amor no coração humano; amor que sorri para os infortunados
e lhes renova o bom ânimo; que trabalha para o bem comum e preserva os tesouros
da vida; que se sacrifica e acende imperecível claridade para séculos inteiros; que se gasta,
em serviço aos semelhantes, sem jamais consumir-se...
Não esperes, assim, pelo ouro para fazer o bem.
Desenterra o talento do amor que jaz oculto em teu peito e tua existência brilhara, para
os homens, por abençoado sol de alegria e esperança.
Jesus não possuía uma caixa forte para exibir virtude, segurança e poder, mas, alçando
o próprio coração na cruz, em nome do amor, converteu-se na eterna mensagem de luz que
redimirá o mundo inteiro."
(Emmanuel, na obra "Relicário de Luz", Autores Diversos/Francisco Cândido Xavier)

Sem comentários:

Enviar um comentário